Profissional do Direito: novas competências para o Séc XXI

Os profissionais do Direito devem estar preparados para o desenvolvimento de novas competências. Pelos menos é o que aponta o relatório produzido pelo Fórum Econômico Mundial em 2016. Com a chegada da chamada Quarta Revolução Industrial, onde a inteligência artificial e aprendizagem automática trarão impactos para o mercado de trabalho, é importante que os futuros profissionais busquem desenvolver novas competências e habilidades, a fim de enfrentarem as novas demandas.

Para saber quais são as competências exigidas para os profissionais do Direito do futuro, não deixe de conferir!

Resolução de problemas complexos

De acordo com o relatório do Fórum Econômico Mundial, uma das competências que todo profissional deve desenvolver é a capacidade de desenvolver problemas complexos. Segundo o relatório, nos próximos quatro anos 36% das atividades em diversos setores da economia exigirão essa habilidade.

No universo jurídico, juízes e advogados já sabem como é difícil adaptar a legislação a situações complexas trazidas atualmente. Dos crimes virtuais, até o casamento gay, hoje é necessário saber contextualizar à lei à sociedade, que segue em uma velocidade bastante superior. Para se adaptar à isso, além de saber interpretar, o juiz e o advogado devem saber pensar soluções, a partir das diretrizes dadas pela legislação.

Criatividade

A realidade do universo jurídico se transformou bastante. Não faz muito tempo que advogados escreviam petições com máquinas de escrever e juízes manuseavam processos físicos. Com a chegada do processo eletrônico, do certificado digital e da tecnologia o novo profissional do Direito foi colocado diante de uma nova realidade. Para lidar com ela, é preciso muita criatividade para se adaptar e também para lidar com as múltiplas tarefas que envolvem o dia a dia do profissional do Direito.

Negociação

Muitos profissionais do Direito saem da faculdade com poucas habilidades para a negociação. Hoje, mais do que desenvolver boas defesas para um cliente ou argumentar em uma decisão, advogados, juízes, promotores e outros profissionais devem saber como negociar.

Segundo o relatório do Fórum Mundial Econômico, a capacidade de negociar avaliando os prós e contras de uma situação é uma das competências que deve ser desenvolvida, na medida em que o mercado contará com mais players e isso promoverá uma maior concorrência.

Para o profissional do Direito, ainda que a negociação não tenha um impacto econômico direto, sabe negociar pelo interesse de seus clientes é essencial.

Gestão de pessoas

Saber identificar talentos, desenvolver pessoas e motivar são habilidades cada vez mais exigidas no mercado de trabalho. No universo jurídico, isso não é diferente. Para reter talentos, é fundamental desenvolver bons relacionamentos e criar políticas internas para a gestão de pessoas. O profissional de Direito do futuro deve estar pronto para saber se comunicar e se relacionar bem, não apenas com seus clientes, mas principalmente com sua equipe!

Inteligência emocional e competências pessoais

Hoje, as fronteiras entre a vida pessoal e a vida profissional estão cada vez menos limitadas. Por isso, o profissional do futuro deve ter uma boa dose de inteligência emocional, para lidar com problemas pessoais e profissionais de forma que isso não acabe prejudicando sua vida como um todo. Muitos profissionais do Direito lidam com questões sensíveis da vida de seus clientes, por isso, precisam de uma boa dose de inteligência emocional oferecerem os melhores serviços, sem que isso afete pessoalmente o profissional.

E você? Está preparado para o futuro? Vai se formar em Direito? Qual habilidade você considera importante um profissional ter? Deixe seus comentários.

Sugestão de imagem: https://www.pexels.com/photo/black-and-white-blackboard-business-chalkboard-356043/

https://www.pexels.com/photo/smart-watch-smartwatch-futuristic-technology-9051/

 

Deixe seu comentário