Você sabe quais são os softwares jurídicos mais utilizados no País?

Veja pesquisa inédita da InteliJur que está mais robusta, apontando os mais utilizados e eficientes tanto para escritórios, quanto para departamentos jurídicos.

Mais de 1.480 escritórios de advocacia e departamentos jurídicos entre os mais importantes do País participaram da segunda edição do estudo que é inédito no setor

A InteliJur realizou uma nova edição da pesquisa sobre os softwares jurídicos mais utilizados no mercado jurídico – Edição 2017/2018. Trata-se de amplo mapeamento inédito dos softwares mais utilizados e, consequentemente, mais eficientes para os departamentos jurídicos de empresas e escritórios de advocacia brasileiros com o objetivo de avaliar o grau de satisfação dos usuários e facilitar ao setor a busca por ferramentas tecnológicas mais seguras e confiáveis, como explica José Nilton Cardoso de Alcantara, diretor da InteliJur.

Nesta segunda edição, a pesquisa cresceu substancialmente em relação à primeira, realizada em 2015 com 483 escritórios e empresas, com 35 softwares analisados. Participaram do novo estudo mais de 1.800 respondentes. No entanto, foram validados 1.482 para participar da pesquisa, sendo 55,53% desse total representantes de escritórios, 72% deles com até 20 advogados. Das empresas, mais de 75% têm mais de 500 funcionários.

“A ideia é apresentar aos advogados as principais opções de softwares existentes no mercado. A pesquisa ajuda a conhecer as possibilidades existentes e facilita na análise e avaliação daqueles que podem ser mais úteis para o seu negócio”, diz Alcântara, observando que o estudo deixa claro que nem sempre os softwares utilizados pelas empresas, mais centrados em ferramentas estratégicas, são os mesmos preferidos pelos escritórios, focados em tecnologias operacionais.

A opinião de algumas empresas importantes!

Para Marlei Schoenau Gruchinski, gerente da Fácil, cujo software é o mais citado pelas empresas, com 27,9% do total, considera o estudo bastante relevante, especialmente porque foi realizado por uma empresa independente. “Ele traz um benchmarking para a condução do negócio. Podemos ter uma visão do posicionamento de nossa empresa frente aos concorrentes e o grau de satisfação na utilização do nosso produto.”
Segundo Heloísa Brischiliari, do maketing da Preâmbulo Tecnologia em Gestão Jurídica, empresa que ficou em primeira lugar na pesquisa e está completando 30 anos em 2018, “estamos muito orgulhosos de ver novamente o CPJ-3C ficar em primeiro lugar geral, e como software jurídico mais utilizado nos escritórios de advocacia. Isso nos dá a certeza que o esforço e dedicação de nossa equipe faz diferença na vida de milhares de usuários do nosso sistema. Especialmente nesse ano, em que nossa empresa  completa 30 anos, nos sentimos mais motivados ainda para apresentar soluções inovadoras, mantendo a eficiência e a segurança que caracterizam nossos produtos “.
Já Sergio Roberto Cochela, CEO da ProJuris, fornecedor de sistemas entre os dez primeiros colocados na pesquisa geral, afirma que a “pesquisa aberta com todo o mercado jurídico ajuda a entender e comprovar que continuamos atentos às necessidades de nossos clientes para garantir que estejamos oferecendo sempre o melhor produto com as melhores funcionalidades”.
“Acreditamos que a pesquisa aponta alguns pontos importante de tendências no mercado bem como oportunidades para clientes fornecedores neste mercado. E aponta também pontos úteis para reflexão da empresa, seja em questões relativas às expectativas clientes, seja relacionada as necessidades de soluções para áreas jurídicas”, argumenta o Diretor de Inovação da EXYON, Victor Rizzo.

Para ver os softwares mais utilizados pelas empresas e pelos escritórios, clique aqui.

Por Galeria de Comunicações

Fonte: GEJUR

Leave a Reply